sexta-feira, abril 29, 2016

Dos que nos ignoram


Ignorarem-nos é bom. Dói, mas faz-nos bem. As costas dos outros servem para expor as nossas entranhas. O silêncio tem falas que a razão desconhece. Se as escutarmos bem ouviremos quem mais precisa de nós. Sim, o desprezo de uns ensina-nos a cuidar mais de outros que nos merecem. Ensina-nos a depender mais do Outro sempre presente do que a confiar mais no ausente ou em nós próprios. A amar mais.

segunda-feira, abril 25, 2016

A grande revolução dos cravos

A grande revolução dos cravos não foi no dia 25 de Abril de 1974, deu-se há mais de 2000 anos em Jerusalém. Há uns cravos que celebram liberdades e há cravos que de facto libertam. A grande revolução não é política é espiritual. Há cravos e cravos.

domingo, abril 24, 2016

Relacionamento vital

"Nunca estamos tão vivos como no instante em que nos relacionamos com Deus."

Eugene Peterson

sexta-feira, abril 22, 2016

Encontrar o Autor do Livro

"Todas as coisas do mundo me conduzem a um encontro ou a um livro", escreveu Jorge Luis Borges, assumindo um travo melancólico agridoce nesta descoberta. É uma frase poderosa. Nunca existiram tantos livros no mundo como hoje. Nunca existiram tantos escritores. Existem tantos encontros e desencontros. Porém, há um Livro. Há um conhecimento crucial. Mais do achar o livro, é ser encontrado pelo Autor. Doce encontro. Há pessoas que não gostam de finais felizes, mas um bom livro também pode terminar bem. Pode ser a sua história.

quinta-feira, abril 21, 2016

Como viver a fé cristã na era da desconstrução?

"É quase crónica esta necessidade de desconstruir com que a pós-modernidade me infectou. [...] Chego a sentir-me condenado ao vazio por esta espécie de Lei pós-moderna: nesta era nada se cria, nada se transforma, tudo se perde. A desconstrução pós-moderna é um dos poderosos motores da vigente falta de sentido da sociedade global. E se me acusarem de alimentar também esse motor, eu assumo de imediato o veredicto: sim, eu sou culpado.

[...] Oremos para que, a despeito do relativismo que impera nesta era, surjam mais jardins onde o Absoluto se venha a revelar a nós e aos nossos contemporâneos."

Excelente reflexão de David Raimundo sobre a crónica desconstrução pós-moderna que nos afecta e infecta a todos. Todo o texto AQUI.

segunda-feira, abril 18, 2016

Quem compreende o agir de Deus?

Os pensamentos e o agir de Deus são inexplicáveis e insondáveis em toda a sua plenitude. Quem compreende plenamente o intento do Senhor? Às vezes fico com a impressão que há crentes que já sabem e conhecem tudo sobre Deus e a Bíblia. Para eles não há mistérios. Conseguem perceber e explicar perfeitamente tudo. Contudo, julgo que desconsiderar o mistério em Deus é não perceber o verdadeiro Deus. Parece-me que quanto mais crescemos no conhecimento divino mais ignorantes nos sentimos. E quando, pela misericórdia e bondade de Deus, vislumbramos um poucochinho de quem Ele é e aquilo que Ele faz, ficamos totalmente rendidos e deslumbrados.

O Apóstolo Paulo, depois de ter tratado no seu grande Tratado à Igreja em Roma do pecado humano, do juízo e da Lei, das obras e da fé, da maravilhosa graça de Deus, da justificação e salvação que há em Cristo, da soberania e misericórdia divina, parece que Paulo fica completamente arrebatado e irrompe num cântico de louvor a Deus:

Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus!
Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos!
Porque quem compreendeu o intento do Senhor?
Ou quem foi seu conselheiro?
Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado?
Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém!


(Romanos 11:33-36)

domingo, abril 17, 2016

Aquilo que realmente importa

"O que é que nós consideramos como de suprema importância? O que colocamos no centro? O que dizemos que é mais importante que tudo e que não devemos jamais perder de vista? Certamente que não pode desacordo entre nós quanto à resposta. É o evangelho da salvação que é também o 'evangelho da glória de Deus.'"

Martyn Lloyd-Jones

quinta-feira, abril 14, 2016

Graça completa

Nesta Páscoa, tive o grato privilégio de partilhar com outros seis oradores "As Sete Palavras da Cruz", que juntou cerca de trezentas pessoas no Centro Bíblico de Esmoriz. Preguei acerca da primeira frase: "Pai perdoa-lhes porque não sabem o que fazem" narrada em Lucas 23:34. A cruz é a grande manifestação da graça de Deus e do amor de Jesus. No meio dos seus horríveis sofrimentos físicos, emocionais e espirituais, Jesus não pensou em si, pensou nos outros e orou pelos seus algozes. Mais do que vãos conceitos religiosos egocêntricos, aquilo que o mundo mais precisa ouvir e receber é a graça perdoadora que brada do Calvário: "Pai, perdoa-os!"

Mas lembremo-nos que não há perdão efectivo sem arrependimento. "Perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem". A ignorância não é inocência. O pecado é sempre pecado aos olhos de Deus. Os pecados cometidos por ignorância também precisam de expiação. A graça curadora de Deus revelada na cruz, tem poder para curar o pior dos pecadores. Graça amorosa. Graça perdoadora. Graça completa. Disponível hoje.