sábado, julho 04, 2015

Ondas que enrijecem o coração

Para acalmar as fervuras dos tempos, tomei hoje o primeiro banho salgado do verão em rijas águas de uma praia nortenha. As ondas que nos tombam, riem-se de nós, conhecem bem a nossa fragilidade. Porém, talvez não o saibam, trazem-nos também a força e o sal que nos enrijece as pernas, os lombos e o coração. Vale mais mergulhar nas águas frias e zombeteiras do mar do que ressequir ao sol com um gélido e temeroso coração.

terça-feira, junho 30, 2015

Maturar

Calar
Falar
Ouvir
Esperar
Recusar

Calar
quando dá vontade explosiva de berrar.

Falar
quando apetecer desistir de comunicar.

Ouvir
aqueles que pouco querem ouvir falar.

Esperar
mesmo que já ninguém queira sentar.

Recusar
beber o fel que tantos querem espalhar.

Maturar. Maturar. Maturar.


Jorge Oliveira

sábado, junho 27, 2015

José Augusto Pontes (1922-2015)

Esta semana partiu para a presença gloriosa do Senhor Deus, o Irmão José Augusto Pontes com a idade de 92 anos. Ancião da Igreja Evangélica em Alumiara, era um dos Irmãos mais antigos dos primórdios da nossa congregação, tendo sido um dos seus membros fundadores. A sua vida marcou de uma forma tremenda e abençoadora centenas de pessoas que com ele conviveram.

Sou grato a Deus pelo grande privilégio de ter tido comunhão com este querido Irmão durante quase 40 anos. O Ir. Pontes foi o meu pastor, conselheiro, amigo, intercessor e um modelo de fé e amor que jamais esquecerei. Foi Ele que me deu a conhecer as primeiras letras do Evangelho. Foi o Ir. Pontes que esteve no meu baptismo nas águas, quando eu tinha 15 anos. Foi ele o Ministro que oficiou o meu casamento com a Raquel e que entregou ao Senhor as nossas duas filhas. Foi o Ir. Pontes que, juntamente com outros líderes, me impôs as mãos e consagrou-me ao ministério de serviço na nossa Igreja, primeiramente como Diácono e posteriormente como Ancião.
Estão gravadas na minha mente e coração as horas que passámos juntos a orar, a meditar na Palavra de Deus e a conversar sobre livros e assuntos espirituais. O exemplo de vida do Ir. Pontes ensinou-me a perdoar, a amar e a servir a Deus em primeiro lugar.

Para além de Pastor foi um grande Evangelista. A coisa que mais alegrava o coração deste Irmão era ver uma alma rendida aos pés do Senhor. Sendo um irmão assumido das "Assembleias dos Irmãos", caracterizava-o também a grande abertura e comunhão com muitas igrejas e irmãos de outras denominações evangélicas, tendo pregado em muitas congregações Metodistas, Baptistas, Assembleia de Deus, Carismáticas, Independentes, entre outras. As centenas de pessoas que ocorreram ao seu funeral também demonstraram isso.

Fiquei triste pela morte deste meu pai espiritual, mas tenho a plena convicção que agora goza da perfeita presença eterna de Deus. A vida não termina com a morte. Acreditamos que quem recebe Cristo como seu suficiente salvador e Senhor, vai habitar com Ele eternamente. Estar com Cristo no céu é muito melhor do que viver aqui. Está breve o dia que estaremos novamente juntos.

Como Igreja, sentimos o peso do grande legado que o nosso Ir. Pontes nos deixou. Com a ajuda da graça de Deus, com a presença participativa dos membros da Igreja e as orações de muitos, certamente que continuaremos a obra que Deus iniciou através do nosso Irmão e de muitos outros. Que Deus continue a ser honrado até à vinda preciosa do Senhor Jesus Cristo. A Deus toda a glória!

“Bem-aventurados os mortos que, desde agora, morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem dos seus trabalhos, e as suas obras os sigam” Apocalipse 14:13.

terça-feira, junho 16, 2015

A exclusividade chocante de Jesus

Na pregação de Domingo, meditámos em João 14. O coração turbado continua a ser um mal que afecta muitas pessoas, alguns cristãos também. Jesus deu-nos várias razões para não nos preocuparmos em demasia. O remédio passa por colocarmos a fé em Deus e em Cristo, confiar que Jesus está a preparar-nos um lugar eterno e que brevemente virá buscar-nos. As inquietações e aflições desta vida são lembranças que não somos só daqui. Há um eterno descanso além, reservado para os crentes em Jesus.

Por mais escandaloso que seja, especialmente nestes dias relativistas, Jesus revela uma exclusividade chocante ao afirmar que ninguém vem ao Pai a não ser por Ele. Jesus é o único Caminho para o céu, Ele é a Verdade absoluta e a única Vida verdadeira que vale a pena viver. Continua ainda hoje a querer salvar e sossegar o coração, por mais perturbado e confundido que esteja. Jesus é a nossa paz.

"Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize." (João 14:27).

quinta-feira, junho 11, 2015

O verbo felicidade

Não são os nossos erros, nem o mal que nos fizeram no passado que nos tolhe a vida e a felicidade; aquilo que nos sufoca e apodrece é ficarmos acorrentados ao mal e aos erros no presente. O verbo felicidade conjuga-se num pretérito imperfeito perdoado com o grato presente desamarrado. Feliz daquele que já aprendeu a perdoar e a amar.

quinta-feira, junho 04, 2015

Turbas ao rubro

As turbas mudam rapidamente de opinião. Num momento celebram com alegria: "Viva o rei Jesus!" e no instante a seguir cerram os punhos e gritam furiosas: "Traidor! Crucifica-o! Crucifica-o!" Nada de novo.

quarta-feira, junho 03, 2015

A diferença entre religião e cristianismo

As religiões são inúteis saltos humanos a tentarem tocar Deus, o cristianismo autêntico é Deus a alcançar o homem pelas mãos de Jesus.

segunda-feira, junho 01, 2015

O dia antes e depois do Dia das Crianças

Há crianças que tentam imitar os adultos. Há adultos que são bebés portando-se com os piores tiques dos infantes. Fazem birras, são teimosos, egoístas, mimados e agem como se o mundo girasse à sua volta. No jardim da vida real, esta infantilidade é como a erva daninha. Sufoca o amor e a verdade.

Ontem assinalámos na nossa Igreja o "Dia das Crianças". No dia antes do "Dia das Crianças", que também foi o seu Dia, as minhas filhas resolveram aparar a enorme relva do nosso jardim. Sem quererem, com esta simpática surpresa, demonstraram que o "Dia das Crianças" já por elas passou. O pai agradece-lhes. Estão no bom caminho do crescimento.