segunda-feira, maio 19, 2008

Fogo do céu para os nossos inimigos?

Quando numa certa aldeia de samaritanos não receberam os discípulos de Jesus, eles, de peito cheio, com aquela “autoridade e fé” tão característica de alguns círculos, ditos cristãos, dos nossos dias, disseram para Jesus: “Senhor, queres que digamos que desça fogo do céu e os consuma, como Elias também fez?”. Ao que Jesus replicou: “Vós não sabeis de que espírito sois. Porque o Filho do Homem não veio para destruir as almas dos homens, mas para salvá-las.” (Lucas 9:52-56)

Podemos também pensar que a melhor solução para aquelas pessoas que não gostam de nós, seja no emprego, na família ou mesmo na igreja é a sua destruição, afastamento ou punição. Mas Deus usa muitas vezes essas pessoas para nos ajudar a entender mais do seu amor. Para nos lembrar da responsabilidade que temos de vivermos e anunciarmos a obra amorosa do Redentor.

Em vez de desejarmos mal a quem não concorda connosco ou se nos opõe, pensemos que essas pessoas são braços de Deus para crescermos um pouco mais. Olhemos para Deus e para nós, porque alguns dos nossos opositores podem até ter alguma razão. Deixemos que o fogo do céu consuma o nosso coração e razões. Façamos bem e oremos por essas pessoas, porque um dia Deus pode transformá-los em nossos irmãos e amigos, porque ajudadores já são.

“Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem.”
Mateus 5:44

3 comentários:

Viviana disse...

Muito interessante.

Gostei de ler.

O Jorge tem razão

Temos que olhar para cada pessoa que nos cerca, seja lá em que lugar fôr, como o Senhor Deus olha,
doutro modo não estaremos cumprindo os seus ensinamentos.

Tenha uma boa semana

um abraço

viviana

Lou Mello disse...

Essa idéia de Jesus em amar os inimigos foi mesmo de arrasar. Até que vou bem nos outros dogmas, mas nesse, confesso que vivo tropeçando. Acho que estou mais para os discípulos do que para o Mestre, pois penso sempre em mandar descer o fogo dos céus nas cabecinhas de certas figurinhas. Ele precisará ser muito paciente comigo, ainda.

Vitor Mota disse...

Realmente é com as coisas mais difíceis que crescemos mais, nomeadamente esta.