terça-feira, janeiro 22, 2008

"O que tu queres é Bola"

Acompanhem as razões e os desabafos de um ex-frequentador-das-igrejas-Baptistas, que prefere ler a Bola e beber um café, em vez de ir ao culto dominical.

"A Igreja Baptista desiludiu-me. E se é verdade que isso também já me aconteceu com A Bola, as medidas são infinitamente menores. (...) As pessoas que mandam nas Igrejas Baptistas raramente têm a ver com o Espírito Santo. Dá ideia que, se confraternizam regularmente com Ele, têm o cuidado de o deixar à porta. A maioria dos dirigentes baptistas são uns palhaços, no meu ponto de vista. Fazem-me rir porque representam tão bem, até para eles próprios, e dizem coisas mesmo engraçadas. Invariavelmente, com o passar dos anos, vão perdendo a vergonha, ou quem sabe o cuidado, (no fundo tornam-se desleixados) e fazem figuras que já nem piada têm."
João Leal, na Rua da Escola.

26 comentários:

Avozinha disse...

Qual igreja baptista é que terá desiludido o João? E eu? Será que também já desiludi a minha igreja baptista?

João Leal disse...

Desculpa o incoveniente.
Estou certo que compreendes as razões do apaganço...

1 abraço

Vitor Mota disse...

Ao fazer afirmações deste género, é fundamental não generalizar porque ao fazê-lo está-se a classificar todas as Igrejas, todos os líderes como iguais às (e aos) que o autor deste texto tem em mente. Isto porque ele não conhece todas as igrejas, não conhece todos os líderes e está por isso a ofender, a magoar e a pecar contra outros, quando afirma o que afirmou.
Por outro lado, mesmo desiludido com alguns aspectos e pessoas da igreja local (quem não está?) precisa distinguir entre aquela e a Igreja de Cristo, a qual é formada pelos verdadeiros cristãos, portanto por muitos designados baptistas bem como por muitos designados de outras denominações. Certamente que ele deve conhecer alguns.
Por último, se o autor deste desabafo faz parte da Igreja de Jesus Cristo então deve preocupar-se mais em lutar para que a imagem que algumas igrejas e líderes dão seja mais coerente com a imagem do Reino dos Céus em vez de "bater com a porta" e ir procurar a (inexistente) Igreja local perfeita!

Nota: Não é por ser Baptista que comento. Comento por ser cristão. Comentaria, caso se referisse a uma Igreja das Assembleias dos Irmãos, da Assembleia de Deus ou qualquer outra evangélica.

Jorge Oliveira disse...

Olá Avozinha,

Penso que só o João poderá responder convenientemente à primeira pergunta.

Parece-me contudo evidente que não se trata de um episódio isolado de uma igreja em particular, mas talvez um acumular de situações e vivências que ele presenciou no contexto das igrejas Baptistas.

Eu também já fiquei desiludido com algumas coisas que assisti e vivi “entre irmãos” e estou certo que também já desiludi a muitos irmãos também. A culpa e a vergonha também são minhas. Que Deus nos ajude.

Jorge Oliveira disse...

Olá João,
Claro que compreendo as tuas razões. Compreendo tão bem que se preferires apago este post.

Que Deus te abençoe.
Abraço

Jorge Oliveira disse...

Olá Vítor,
Obrigado pelo teu comentário.
Quando li o post do João, confesso que pensei também algumas coisas que escreveste. Percebi a perigosidade de meter tudo e todos no mesmo saco.
Mas é Deus que conhece e pesa os nossos corações e estou certo que ainda existem líderes e membros de igrejas Baptistas e de outras denominações que servem e honram a Deus com um coração puro, uma boa consciência e com uma fé não fingida (1 Timóteo 1:5). Mas isto não invalida que falemos dos nossos erros, hipocrisias e falsidades e principalmente que apontemos soluções. E a melhor maneira de isto acontecer é fazer parte activa de uma igreja local, seja ela Baptista, “Irmãos”, “Assembliana”, Metodista ou outra qualquer.

Abraços

jc disse...

Desculpem o desabafo...
Mas eu também estou farto!

Farto de ouvir toda a gente a "lavar roupa suja em pela praça pública" (subentenda-se a blogosphera...), sem qualquer dó nem piedade!

Estou farto de falsos moralismos, e de pessoas que se incham tal e qual os garnizés, e que berram em plenos pulmões que foram tratados assim e assado…

Pois bem... Sei que já fiz igual, e que possivelmente voltarei a fazer igual, pois a carne é fraca…

Mas e que tal, em vez de estarmos sempre a maldizer tudo e todos que estão à nossa volta, e sempre que algo que nos magoa, tentarmos edificar o nosso próximo…

A maioria dos cristãos que, têm um blog esquecem-se que este não deveria ser lugar de frustrações… Aqui demonstramos ao mundo (acredito que muita gente que lê estes blogs são não-cristãos…) o que somos. E qual é a imagem que conseguimos demonstrar?! De alguém quem anda sempre em guerrinhas constantes, e que não sabem bem o que querem… No fundo demonstramos que somos iguais ao “mundo”!... Assim, e com estas coisas, so afastamos pessoas do essencial: DEUS!

Não quero atingir ninguém, nem fiquem a pensar que me sinto minimamente atingido (nem Batista sou…); mas quero ser Discípulo e não quero pertencer a uma igrja, mas sim à Igreja.
Mas cada vez mais, custa-me assistir a demonstrações de imaturidade em locais deste tipo… Por causa disso mesmo é que fiz uma pausa para reflectir no que andava a fazer neste “mundo”…

Mas esta, é a minha opinião…

João Leal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João Leal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jorge Oliveira disse...

Olá JC,
Antes de mais muito obrigado pelo teu desabafo e opinião. É sempre bom ouvir outros pontos de vista.

Penso que a blogosfera, e um blogue em particular é um pequeno espelho do que somos, pensamos, vivemos e o reflexo, ainda que por vezes muito pequeno, daquilo que nos vai na alma. Quando há amor, alegria, paz, amargura, ressentimento, ódio, mesquinhez, complexos ou outras coisas, isso irá inevitavelmente reflectir-se nas palavras que falamos e escrevemos. Ainda que por vezes podemos escrever acerca de coisas que não estamos a viver.

Como tu bem sabes, a vida nas igrejas (e fora delas) nem sempre é fácil. Não sei se adianta muito ocultar as nossas mazelas e a “nossa roupa suja” “do mundo”, porque “o mundo” identifica e reconhece rapidamente os sintomas da doença. Além disso uma farsa pode ser escondida ou dissimulada durante algum tempo, mas um pouco mais além e tudo fica exposto e descoberto. A história ensina-nos que não se consegue ocultar a mentira nem calar a verdade para sempre.

Concordo porém, que há determinadas coisas que se pode e deve resolver nos sítios próprios e não na praça pública, mas isso compete a cada pessoa avaliar e decidir em conformidade. Até porque afinal de contas o João retirou o texto inicial.

De qualquer forma agradeço uma vez mais as tuas palavras e que Deus nos ajude a dizer e a fazer tudo para a sua glória e edificação do nosso próximo.

Deus te abençoe
Abraços

jc disse...

Agradeço a tua resposta Jorge...

É verdade o que dizes... Que mais cedo ou mais tarde as pessoas irão aperceber-se da verdade. Mas cada um vê a verdade de uma forma diferente...

Não quis criticar o João por ter escrito, e tu por teres colocado aqui o pequeno excerto...
Apenas sinto-me farto de ouvor critica...
Podemos aproveitar estas ferramentas para duas coisas: destruir (que acredito que nenhum Cristão, por mais magoado que esteja, queira...) ou edificar...
Prefiro edificar...

;)

Bênçãos!!!

João Leal disse...

ão as que conheço (ou conheci). E não foram assim tão poucas. Além de ser filho de pastor, estive no Seminário Teológico Baptista de Queluz durante três anos, altura em que estive em contacto com muitas realidades diferentes. Ainda hoje me mantenho em contacto.
Podia-te falar dos exemplos da igreja de Queluz, da Amadora, da Terceira de Lisboa e muitas outras. ..e de líderes como pastores, líderes locais e jovens que são péssimos exemplos. Ou então das vergonhosas lutas de poder nas organizações e nas igrejas. E é claro, embora custe, que a maioria das pessoas sabe exactamente do que estou a falar. Quem achar disser que não, é hipócrita.
Disso não tenho dúvidas.
Não pertenço a nenhuma Igreja. Mas sou cristão. E sinto-me legitimado para falar sobre isto.

Alice disse...

... e olha que não só as Batistas desiludem... a mim, não restou mais nenhuma...aliás, de igrejas eu quero distancia, prefiro o corpo de Cristo, vivo e eterno.
bjkassss

João Leal disse...

Em relação ao meu comentário anterior e ao post original no meu blogue:

Não penso que tenha sido justo com a maioria dos crentes e pastores das Igrejas.
Sei que os problemas nas igrejas são residuais quando comparados com as bençãos e Graça de Deus que percorrem as Igrejas Baptistas por todo este país.
O meu ressentimento mal medido, e principalmente uma desonestidade intelectual em só ver o que é mau, amplificando-o porque dava jeito aos meus argumentos, fizeram-me executor de uma injustiça muito grande para com todos aqueles que se esforçam nas igrejas e delas cuidam para que merecer o título de noiva de Cristo.
Não sei mais que palavras poderei usar para expressar a minha tristeza pelo que escrevi.

Jorge Oliveira disse...

João,

Nada está perdido, amigo.
O Deus que esteve com Davi, Pedro e Paulo quando eles estiveram caídos, também está contigo, “onde o pecado abundou, superabundou a graça” (Romanos 5:20). Que a poderosa graça e amor de Deus cresçam e restaurem a tua vida.

Deus te abençoe

Santo & Pecador disse...

Olá...
Tenho seguido o "caloroso" debate e somente tenho algumas questões para o João Leal.
Quando escreves que: "Não pertenço a nenhuma Igreja. Mas sou cristão"...
Gostaria que me explicasses que base Bíblica tens para afirmar que se pode ser "Cristão" e não pertencer a nenhuma Igreja?
Afinal ser cristão é ser corpo como afirma a Palavra de Deus em vários locais da qual destaco a carta de Paulo aos Coríntios 1º Coríntios 12:12 -31, também a carta aos Hebreus reprova essa atitude quando diz que “não deixemos de congregar-nos como fazem alguns” Hebreus 10:24 -25, que eu saiba o autor da carta aos Hebreus não colocava em questão se os Lideres ou os membros da Igreja eram perfeitos ou não, ou do nosso agrado ou não antes os estimulava ao “Amor” e as “boas obras” e a que se “admoestassem uns aos outros”!!! Se assim não fosse as igrejas estariam vazias ou sem Lideres!!!
A Segunda questão é com a afirmação: "E sinto-me legitimado para falar sobre isto"... Quem te da essa legitimidade? Deus? O teu intelecto? Será o E. Santo?
Não creio que seja nem Deus nem o E. Santo porque a forma "amarga" e "incorrecta" com que exprimes as tuas opiniões não me parece ser fruto do E. Santo, mais bem me parecem ser obras da carne tal como afirma o Apostolo Paulo na sua carta aos Gálatas 5:19 -21 “…inimizades, porfias, … iras, pelejas, dissensões, facções, …”
A Palavra nos ensina que se temos alguma coisa contra um Irmão (seja ele Líder, Pastor ou outro irmão qualquer) devemos em primeiro lugar ir e tentar reconciliarmo-nos com ele, procurando a Paz e então depois podemos ir até Deus (ser verdadeiros Cristãos) e estar também em Paz com Ele (Deus). Mateus 5:22 -26
Termino com um pequeno trecho da oração que Jesus nos ensinou. “…Pai perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores…” Mateus 6:12
Deste imperfeito Líder e Pastor de Igreja (não Baptista somente por acaso)

Nuno disse...

Olá Jó,

Sabes que não é hábito comentar aqui no teu blogue mas parece-me bem fazê-lo agora. Eu próprio coloquei uma chamada de atenção para este post do João. E é precisamente por aí que começo. Conheço o João há muitos anos e, no geral, o percurso que o trouxe até aqui. Provavelmente, estou incluído na lista daqueles que o desiludiram porque me enquadro em praticamente todos os sectores abrangidos (sim, o sou Baptista). Logo, posso enfiar mais carapuças de que a maioria das pessoas que aqui comentou. Mas, curiosamente, o que o João escreveu não me afectou da forma como outros têm estado aqui a escrever. Foi demasiado generalista? Talvez. O João tem a sua quota de culpa? Com certeza. Há pastores bons e Igrejas boas? Também. Mas estamos a passar ao lado do que importa. Parece-me haver uma certa fobia em se abordar certos assuntos da vivência das nossas comunidades como se de tabus se tratassem. Acabamos sempre por desviar o assunto, moralizar, lembrar o João do que ele não é e quer ser, etc. Haverá alguém que esteja a traçar um caminho honesto e que sinta afectado pelas palavras do João? Não me parece. A prática é que nos justifica. Jesus disse que a sabedoria é demonstrada por obras. Não temos que passar o tempo a defender a Honra Cristã. Pessoas como o João fazem falta. Ajudam-nos a olhar para dentro e arrepiar caminho, mudar o que deve ser mudado, ser mais autênticos, mais comprometidos com Jesus e a Sua obra. Se lermos os outros post recentes do João e não somente este, vamos encontrar um homem que está, creio eu, à procura de comunidade, de sentido relacional, de Vida. Espero que ele possa encontrá-la rapidamente. Receio que não seja uma das nossas Igrejas. Retiremos de as ilações que devem ser tiradas.
Um Abraço a todos

Nuno

P.S. Jó, parece-me que a forma como escreveste o post não ajudou muito à leitura e interpretação do mesmo.

P.S.1 João, se chegares a ler isto, não te martirizes por seres quem és.

João Leal disse...

1 abraço, Nuno!

Um dia falamos disto, se quiseres.
Curiosamente, aprendi muito no dia de ontem e por causa deste post e comentários.

Tiago Cavaco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jorge Oliveira disse...

Olá Nuno,

Obrigado pelo teu comentário.

Só uma pequena nota de esclarecimento:
Quem leu o texto completo que o João escreveu, percebe que o meu post é escrito “no tom humorístico” do próprio post dele. Como a maior parte das pessoas não leu a totalidade do texto pode não entender o meu post. Aliás palavras do meu post são quase uma transcrição das do João.

Abraços

José Carlos disse...

Não me apresso a condenar o João por ter a opinião que tem. Lamento que não esteja em igreja alguma apesar de acreditar que se possa ser cristão sem se ter igreja local.
Não há, como certamento o João sabe, igrejas locais perfeitas. Eu costumo dizer que a minha igreja local nunca será perfeita enquanto eu lá estiver...
Apesar disso Jesus colocou todos os que crêem numa igreja local e isso deveria fazer-nos reflectir.
Um abraço de um líder de igreja local imperfeito, mas desejoso de ir melhorando.

Avozinha disse...

Conheço (e estimo) o João desde que nasceu. Compreendo até as razões para muito do seu desabafo. Só não aceito que envolva a minha igreja (a Baptista de Queluz) no seu rol, já que não é, nem nunca foi, membro dela. Tudo o que possa afirmar é só do "diz que disse". A minha igreja (à qual me orgulho de pertencer) é formada por muitos pecadores (como eu), mas vive e continuará a viver pela misericórdia de Deus.

João Leal disse...

Avozinha,

foi exactamente a essa conclusão que cheguei também.
Infelizmente, estive mal.
Peço-lhe desculpa e aos restantes membros da sua igreja, publicamente.
Espero não repetir injustiças destas.

Avozinha disse...

Por mim, estás desculpado!

David Cameira disse...

As piores mordidelas , para não dizer as piores " canalhices " ( DESCULPAI-ME a expressão tão forte mas foi o coraçãoa falar )são as que se fazem entre irmãos

Que pena q eu tive de, por razões profissionais, não ter lido o tal post...

Já agora agradeço á Igreja Baptista da Amadora - a do Pastor Manuel Alexandre Jr e do Pastor Marcos Ferraz -
AINDA não me terem mandado calar, nem apagar posts, ou aconselhado a deixar de estar presente nas Assembleias de igreja
APESAR dos meus desabafos....

VÁ LÁ NÃO É SÓ DIZER MAL, TB TEMOS DE DIZER BEM ( qd o há para dizer )!!!!

David Cameira disse...

Da Igreja Baptista de Queluz podia falar eu, que lá estive 18 ou 20 anos, mas prefiro guardar silêncio.

Já diz o rei Salomão: " há tempo para falar e tempo para estar calado "