quarta-feira, dezembro 14, 2011

A decepção nas igrejas é certa

A vida na igreja é uma coisa maravilhosa, mas se há uma coisa certa e segura para quem se congrega numa igreja evangélica é a decepção. O desapontamento eclesial é quase uma condição sine qua non para quem quiser fazer parte de uma igreja local. Pode não acontecer no início da caminhada cristã, mas mais à frente ele vai certamente surgir. A vida na igreja não é uma coisa fácil. São "normais" os conflitos relacionais entre irmãos, os choques que resultam do serviço, as discórdias com os líderes e principalmente as decepções e as injustiças a nível pessoal. Estes testes, porque é de testes que a maior parte das vezes se tratam, servem para pesar o nossa maturidade espiritual. Ajudam-nos a aferir o tipo de confiança que temos em Deus, na sua graça, e o amor que sentimos pelos irmãos e pela obra do Senhor.

A maneira como enfrentamos e lidamos com estes desapontamentos fará toda a diferença. Se aprendermos com eles e avançarmos, iremos crescer mais na graça e no conhecimento de Deus, se por outro lado não soubermos prosseguir e perdoar, ficaremos paralisados espiritualmente. Para que o vaso de barro seja de maior honra, por vezes precisa ser quebrado, "para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós" (2 Coríntios 4:7). A decepção nas igrejas é certa, mas a vitória também pode ser.

2 comentários:

Rubinho Osório disse...

Jorge, sei que não foi tua intenção, mas teu texto dá margem à interpretar a "obra do Senhor" como as atividades que realizamos no âmbito da igreja ("a vida na igreja", segundo o texto).
A "obra do Senhor" acontece em todo lugar, a todo momento. Basta estarmos dispostos a seguir a Jesus, certo?

Jorge Oliveira disse...

Obviamente que a obra do Senhor não se esgota nas actividades da igreja (mal seria...), mas não tenho problema algum em afirmar que as actividades das igrejas podem e devem cooperar com a obra do Senhor.

Já aqui o disse que, para mim (e à luz das Escrituras), seguir Jesus apartado de uma igreja local faz pouco ou nenhum sentido. "Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela" (Efésios 5:25).