terça-feira, janeiro 19, 2010

Concentração Cristológica

Talvez o maior problema das crenças e descrenças actuais seja o desvio do foco certo - o afastamento daquilo que Barth apelidou de “concentração Cristológica”. Jesus é a origem e o objecto de toda a criação e revelação, portanto, tudo o que existe e acontece só pode ser entendido por Cristo. Interpretar factos, ideias e mesmo a Palavra de Deus, que em última análise é o próprio Cristo (O Logos), dissociada de Jesus Cristo é um grave equívoco.
Uma cosmovisão que tem como foco central o Homem, está longe do alvo autêntico da existência, ou seja, Jesus Cristo. Só somos verdadeiramente humanos quando somos Cristocêntricos, como bem realça a dogmática Barthiana: "Em Jesus Cristo não há separação do homem de Deus, nem de Deus do homem."
Quem é o foco central da nossa vida?

4 comentários:

Rubinho Osório disse...

Aqui exposto, meu credo.

Rubinho Osório disse...

Por mais dúvidas que eu tenha, e como as tenho!

Jorge Oliveira disse...

As certezas e as dúvidas são importantes para a fé genuína em Deus.

"Eu creio, Senhor! Ajuda a minha incredulidade." (Marcos 9:24)

barrorenovado disse...

“Se alguém diz que ama a Deus e detesta o seu irmão, é mentiroso. O que não ama o seu irmão que vê, não poderá amar a Deus que não vê” (1Jo. 4,20).