domingo, setembro 20, 2009

E quando "o culto" não é bom?

"Foi um bom culto", diz-se por vezes à saída da igreja. Mas, e quando ficamos com a sensação de que não foi? Quando parece que Deus não se tornou presente e nada aconteceu? "Saí como entrei!", ouve-se dizer. "A culpa é sempre de quem ouve!", argumentam os pregadores. Até pode ser, mas muitas vezes não é. Tantas vezes falta mais oração, consagração, preparo, unção, ilustrações adequadas e tantas outras coisas. Fazer o quê?

Sugiro que, antes de começar a reclamar contra os líderes, pastores ou da igreja, se faça o trabalho de casa. Meditar um pouco mais nas passagens Bíblicas que foram mencionadas. Ler e ruminar as Escrituras, porque independentemente do homem por vezes falar, falar e pouco ou nada dizer, a Palavra de Deus é viva e sempre fala algo proveitoso. "Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça" (II Timóteo 3:16). Ore pelo pregador. Tire alguns apontamentos do que leu. Viva o que Deus falou. Partilhe o que aprendeu com outros. Para que todos os dias sejam sempre "um bom culto" como hoje foi.

4 comentários:

Danilo Fernandes disse...

Otimo texto Jô.

Hoje o pessoal só que saber se Deus "operou" e, este "operou é traduzido por toques de mágica e emoção musical... Coisa que não sustenta nem a segunda-feira, alimento de homens...

Paz e Bem,

Danilo

Jorge Oliveira disse...

Obrigado Danilo,

Só mesmo a meditação regular e a prática da Palavra de Deus alimentam e fortalecem o nosso espírito.

Forte abraço.

..carlix.. disse...

Eu, uma valente "boca-doce" no que diz respeito a chamar a atenção sobre o que vejo nos cultos, tenho cada vez mais ganho a ideia que, se eu vejo as coisas de forma negativa, para além de eu achar que a postura das pessoas não anda lá muito espiritual o erro está TAMBEM e principalmente em mim. E realmente quando nos afastamos da presença do Senhor, as coisas que vemos nunca apresentam o Amor Dele.

Jorge Oliveira disse...

É isso Carlix,
Reconhecer que também somos parte do problema é sem dúvida o bom caminho para a solução.

Forte abraço.