sexta-feira, junho 26, 2009

A vida passa muito depressa

22:29, hora do Porto.
Depois disto, vou apagar o computador.
Por aqui está calor. Aquele ar abafado.
Tenho a garganta seca.
Vou apanhar uma garrafa de água fresquinha, água das pedras, da levíssima
e subir para me deitar.
Beijar as minhas filhotas,
dizer que as amo.

Talvez uns aperitivos salgados para entreter a leitura.
Estou quase a acabar os contos da Alice Munro.
Ou um dos outros dez livros que estão na minha mesinha de cabeceira.
Eu sei, não devia comer salgadinhos, mas gosto.
Ou ver um pouco de televisão.
Depois, agarradinho à minha Raquelinha, adormecer tranquilo.

Amanhã é sábado
a vida passa depressa.
Se nos descuidarmos passa ainda mais depressa.
Ouvi hoje na Antena 3, a propósito do Michael
que as pessoas famosas só conseguem aguentar a pressão confiando em Deus ou no diabo.
E as pessoas "anónimas"? como conseguem aguentar a pressão?
Há mais de trinta anos escolhi confiar em Deus.
Tem valido a pena.


Tenha um feliz fim-de-semana.
Fiquem com Deus.

2 comentários:

missaovirtual disse...

Fez muito bem em sua decisão, amigo. Parabéns pela família e obrigado pelo post-puxão-de-orelha.

Abraço,
Luiz Henrique

Jorge Oliveira disse...

Olá Luiz
Foi mais uma pequena partilha de vida, do que propriamente um "puxão de orelhas". A vida de facto passa muito rápido, valorizemos os pequenos (grandes) detalhes da vida.

Um abraço