terça-feira, junho 02, 2009

O segundo nascimento

O brasileiro luso-descendente que não embarcou, por não ter o seu passaporte válido, no avião da Air France que se despenhou tragicamente nos mares do Oceano Atlântico, afirmou que estava a sentir-se como se tivesse nascido outra vez, "é o meu segundo nascimento", disse ele. Apesar de não acreditar em Deus, depois desta experiência confessou acreditar que "existe um poder maior, uma energia superior".

Não é poder, nem energia, meu caro. Existe é um Deus que precisamos acreditar, amar e seguir. E tudo começa quando nascemos espiritualmente de novo. Perante a grande viagem da eternidade que nos espera, para que não ocorram catástrofes eternas, importa nascer verdadeiramente de novo. Foi o que Jesus disse a um certo Doutor da Lei: "Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus." (João 3:5)


Leia mais: Como posso nascer de novo?

7 comentários:

Ezequiel B. Duarte disse...

Essa reflexão é interessante, mas esbarramos sempre na mesma questão... O que dirão os familiares das vítimas? O que pensaram as vítimas nos segundos em que tiveram a consciência colectiva de que aqueles eram os seus últimos momentos?

Acho que de alguma forma é injusto dizer que existe Deus ao que nasceu de novo só porque não embarcou, porque à contrário sensu teremos que dizer que não existe Deus para os que morreram.

Honestamente não sei o que dizer a não ser que é óbvio que existe Deus. Mas nestas alturas invoca-Lo levianamente acaba sempre por ser perigoso.

Jorge Oliveira disse...

Não sei se percebi bem o seu comentário Ezequiel. Acredita que Deus existe mas não se deve falar no seu plano redentor por causa das famílias enlutadas, é isso?

É verdade que a morte carrrega dor, sofrimento, separação, mas não será esta também uma oportunidade, para os acreditam que a morte não é o fim, falarem respeitosamente e amorosamente aos vivos, acerca do plano maravilhoso que Deus providenciou para cada ser humano?

Confesso que não gosto muito de ir a funerais e também não sei bem o que dizer, a maior parte das vezes, mas leio em Eclesiastes 7:2 que "melhor é ir à casa onde há luto do que ir à casa onde há banquete, porque ali se vê o fim de todos os homens; e os vivos o aplicam ao seu coração."

Que Deus nos ajude a entendermos estas palavras.

Vilma disse...

O meu bom senso e sensibilidade, mostram-me que sem dúvida, nestes momentos o mais importante e a atitude mais cristã, é chorar com os que choram e estar do seu lado, muitas vezes, até em silêncio. Num momento de dor, procurar falar do plano redentor de Deus, não é sensato. No entanto, Deus ensina-nos a usar as oportunidades. E elas surgirão, sim, e para cada momento, precisamos de acima de tudo, agir em amor cristão. Muitas vezes, sem serem necessárias as palavras.
Estar ao lado e mostrar amor, é a melhor pregação.
Quanto ao moço que afirmou que "nasceu de novo", será uma peça do puzzle da sua vida que Deus, com certeza estará a montar. O poder e o crescimento são Dele e oramos para que o Espirito conduza este rapaz à paz com Deus e use esta circunstância na sua vida para o conduzir ao conhecimento da beleza da vida que Deus preparou para todos os que O buscam de coração.

Desculpa o V.T e N.Testamentos...hehehehe!
Abraço fraterno.

Logos disse...

Deus não é menino, nem se deixa levar por conceitos humanos. Melhor deixar Deus fora dessa. foi isso que o Ezequiel quis dizer.

Abraços.

Djalmir.

Jorge Oliveira disse...

Para quem ainda não percebeu,

o meu post fala da importância de se nascer verdadeiramente de novo.

Samuel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Samuel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.