quinta-feira, junho 04, 2009

A morte dos profissionais da fé

John Piper insta com seus companheiros pastores para abandonarem a secularização do pastorado e perseguirem o chamado profético bíblico para um ministério radical.

"Nós pastores estamos sendo mortos pela profissionalização do ministério pastoral. A mentalidade do profissional não é a mentalidade do profeta. Isso não é a mentalidade de um servo de Cristo. O profissionalismo não tem nada a ver com a essência e o coração do ministério cristão. Quanto mais profissionais queremos ser, mais morte espiritual nós vamos trazer para o chamado. Porque não há como imitar uma criança sendo profissional, não há como ter um coração terno sendo profissional, não há como ansiar por Deus sendo profissional.

Irmãos, vocês não são profissionais. Vocês são apátridas. Vocês são extra-terrestres e exilados do mundo. Nossa cidadania está no céu, onde esperamos ansiosamente pelo Senhor (Fil. 3:20). Você não pode profissionalizar o amor pela sua manifestação, sem o matar. E está sendo morto.

O mundo dita a agenda do homem profissional. Deus dita a agenda do homem espiritual. O vinho forte de Jesus Cristo explode o vinho carnal do profissionalismo.


Via Em Busca de Deus, do original Desiring God.

8 comentários:

Rubinho Osório disse...

Meu pai, 82 anos, pastor jubilado, já dizia isso, com angústia, tristeza e revolta há 20 anos.

Jorge Oliveira disse...

Não conheço o seu pai Rubinho, mas certamente que foi um bom servo de Deus e um bom profeta, sem dúvida.

Que Deus nos ajude a desenvolvermos a mentalidade de servos de Cristo.

Abraços (para o pai e o filho)
:)

Viviana disse...

Olá Jorge

Com os meus 68 anos de vida cristã - sim, porque eu sempre pertenci a Cristo desde bem pequena - angustio-me e entristeço-me quando nos dias de hoje, olho á minha volta e observo o tipo de pastores e obreiros que estão á frente das igrejas de Cristo.

Alguns com um ar tão infeliz!

Sem vivacidade, sem coragem, sem entusiasmo...

Não têm nada a ver com os Pastores e Missionários que eu há muito tempo conheci.

E penso:

O que aconteceu?

O que é que se passa?

Eu não entendo.

Oro para que o Pai se amereça dos seus servos fiéis e os ajude e abençoe.

Um abraço

viviana

Jorge Oliveira disse...

Olá Viviana,
Realmente é uma triste contestação, mas não acredito que seja generalizada. Creio que ainda existem alguns bons pastores que não mercantilizam a fé e que procuram ser verdadeiros servos de Cristo. Conheço alguns que são genuínos ministros de Deus.

Um abraço.

Samuel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Samuel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jorge Oliveira disse...

Olá Samuel,
Ao ler que passaram 4 Pastores em 15 anos na sua igreja, pensei logo se o problema serão os pastores ou as ovelhas. Não sei qual é a sua igreja local, nem me compete julgar seja o que for, mas uma coisa conheço, é que se existem alguns maus pastores (e existem), "ovelhas ranhosas" (perdoe-me a expressão), que tentam destruir o trabalho da igreja e dos líderes é o que mais há nas congregações.

Sinceramente espero que não seja o vosso caso e que Deus vos dê (ou desperte no vosso meio) um ou mais obreiros que sirvam com amor e dedicação a igreja e O Senhor.

Samuel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.