sábado, outubro 18, 2008

Obreiro aprovado

Na segunda carta de Paulo a Timóteo (2:15), o apóstolo alerta o jovem Timóteo para que se apresente a Deus como obreiro aprovado. Surge a consequente questão: qual será o grande teste que aprova (ou não) um obreiro?

6 comentários:

José Carlos disse...

Um deles é, o próprio texto o diz, manejar bem a Palavra da Verdade...
Mas há outros, seguramente.

Jorge Oliveira disse...

Concordo José Carlos, mas e se manejar mal a Palavra da Verdade, é reprovado?

Poderá existir alguém que maneja bem a Palavra e não é obreiro aprovado?

A passagem também refere que se deve evitar contendas de palavras e falatórios profanos, quais os outros testes decisivos para um obreiro?

Vilma disse...

Boa questão a ser levantada Jorge.

Para mim, a resposta mais completa sobre isso, encontra-se em 2 Pedro 1:3-10, enfatizando os versículos 5 a 7.
Reunir todas estas coisas, fará de qualquer discípulo, um obreiro aprovado.
Sabemos no entanto que nignuém consegue reunir assim tudo de forma tão ampla e completa, mas é este mesmo o processo em que nos encontramos, até ao dia de Cristo.
Deus mesmo completará a boa obra que iniciou em nós. DTA

Lavrador disse...

Não há teste. Há, talvez o testemunho e, mesmo este, é subjectivo... O que era bom testemunho antigamente não o é mais,ou melhor, não o é como era antigamente. Mudaram-se os tempos e com os tempos o valor do testemunho. Manejar bem a Palavra da Verdade não é de modo nenhum um teste. Há quem maneje extraordinariamente bem A Palavra mas...

..caRla.. disse...

Então mas temos nós a capacidade de aprovar ou desaprovar alguém?!

Não sei como é com a outras igrejas... na minha existe um conselho que reflecte e orienta os cargos da igreja, no que diz respeito à eleição das pessoas. Não sei até que ponto isso é bom ou mau, só sei que eles regem-se por um padrão de regras e condutas que são avaliadas nas pessoas, desde a vida pessoal à vida espiritual.

Não consigo responder a essa pergunta! É um "terreno" muito complexo, esse. Os crentes já não conseguem manter uma vida transparente, simples, de completa entrega à Igreja. Elas (nós) vivem esse pseudo-vida ao Domingo! Ainda a semana passada foi abordada numa das pregações do pastor mais ou menos isto: "a igreja só está aberta ao Domingo. não temos condições de podermos abrir as nossas portas durante a semana... se abrissemos, quem de vós viria?" ... as únicas pessoas que levantaram as mãos foram os velhotes!

Acho que tudo começa pela disponibilidade das pessoas para o trabalho de Deus. Depois passa pelo tipo de Amor que a pessoa tem - se é o "primeiro amor", se é o tal amor falso que falou no post anterior... E os frutos do esírito! Manejar bem a Palavra também é muito importante, mas e aqueles povos que não sabem ler, mas por ouvirem as mensagens e os testemunhos, conseguem dar muito mais testemunho e exemplo que nós, que temos até Biblia on-line e temos livros e cadernos de estudo?!

Sempre aprendi que a Palavra é para ser vivida e não decorada. É ai que tudo faz sentido! Um obreiro que não viva a Palavra, não vai fazer crescer a obra. E se calhar é este o grande mal das pessoas (comigo incluída) hoje!

Já estou a falar muito não é?

Mas nos últimos tempos tenho passado por um arrefecimento espiritual que me tem deixado muito preocupada! E o pior é que não estou a conseguir dar a volta. E estes assuntos têm-me feito pensar naquilo que eu já fiz na igreja e o que isso resultou ou serviu para mim e para as pessoas envolvidas. Podia descrevê-las mas não me parece adequado fazê-lo aqui. Mas posso dizer que eu não vejo resultado. Acho que o facto de eu ter sido uma "obreira" sem preparo nenhum para as lideranças que tive, afectou algumas áreas e vidas e isso tem-me feito pensar... "porque é que eu não cresci?" "porque é que essas pessoas não cresceram?"...

É um assunto que realmente que preocupa e me incomoda!

Jorge Oliveira disse...

Caros amigos,
Agradeço os vossos interessantes comentários e observações muito pertinentes.

Não sei se a minha pergunta terá uma resposta final. Respostas fáceis não tem com certeza. Penso que passará muito pelas Escrituras, pela capacidade de aprender a vivê-las e ensiná-las. Por um profundo amor a Deus e ao próximo, pelo poder do Espírito Santo, pela disponibilidade humilde de servir com paciência, pelo exemplo de fé, pelo desapego às coisas materiais, enfim tudo coisas impossíveis de fazer fora de Cristo, “porque sem mim nada podereis fazer”.

Uma coisa é certa: há falta de bons obreiros. Dos aprovados por Deus. “Rogai, pois, ao Senhor da seara que envie obreiros para a sua seara.”


Carla, agradeço o teu testemunho e desabafo. Existem coisas no reino espiritual que não se vêem inicialmente só crescem e se tornam visíveis mais tarde. Não penses que foi tudo em vão. O facto de admitires esse teu arrefecimento espiritual actual e não estares satisfeita com isso, já denota que Deus está a trabalhar na tua vida.
Persiste em ler as Escrituras (e também o CANTO, lol), em orar e a estar em Cristo, porque quando verdadeiramente estamos ligados à Videira-Cristo os frutos surgirão naturalmente (João 15:4). Deus irá certamente “aquecer” a tua vida espiritual, é a minha oração.

Abraço