quarta-feira, outubro 08, 2008

A letra mutila e mata

Um jovem brasileiro de 22 anos cortou o seu próprio pénis e a mão direita. Uma Bíblia estava aberta e o seu sangue esparramado por várias divisões da casa. “Foi Deus que mandou”, repetia o pobre rapaz.
Acredito que muito antes desta triste auto-mutilação, a mente e a alma deste jovem terão sido cortadas e mutiladas por algum fundamentalista obtuso qualquer, que o ensinou a ler a Bíblia de uma forma mágica, literalista, míope e descontextualizada, fazendo da Palavra viva de Deus, mera letra morta. Esses sim, mereciam ser decepados, porque o pior que se pode fazer a uma pessoa é roubar-lhe o amor, o perdão e a esperança.

8 comentários:

Tinoca Laroca disse...

Pior que a mutilação física é a mutilação da alma, a desesperança...

God bless you,
T.

ps: a religião continua a matar, será que nunca aprenderemos nada?

Jorge Oliveira disse...

Tens toda a razão Tinoca.
E quantos mutilados por aí andam infelizmente...


Abraço
DTA.

soffs disse...

Fiquei horrorizada com esta noticia...simplesmente ....o que se faz em nome de uma fé, é absolutamente....

Lou Mello disse...

Legal sua coragem em replicar essa notícia. Isso é raro.

Júnior disse...

Forte esta realidade porém está acontecer todos os dia seja no inetrior de Áfria ou numa grande metrópole. O consolo é que os falsos ensinadores prestarão contas no grande dia.
Força!!!

Dra. costa disse...

Obtusos saqueadores da fé. Da fé pura e simples. NEle.

Santo & Pecador disse...

Infelizmente eu seu o que é viver a opressão religiosa de alguns lideres que colocam pesadas cargas na alma e coração dos que amam a Deus e querem ser fieis... não que eu tivesse mutilado parte do meu corpo mas durante anos fui incentivado a mutilar a minha alegria, esperança e visão de um Deus cheio de amor que está sempre disposto a perdoar ao pecador arrependido...
Resta-nos denunciar esses líderes "cangaceiros" e orar pelos que por eles influenciados levam vidas "mutiladas" sem poder alegrar-se da bendita esperança Cristã...

Um Abraço Jorge

Jorge Oliveira disse...

Olá "Santo"
Percebo um pouco do que falas e sentes. Tantos fardos e cargas impostas por gente frustrada que usa a religião como manifestação do seu pobre "eu".

Graças a Deus que em Cristo somos verdadeiramente livres.

Abraço