quinta-feira, julho 31, 2008

A conflituosidade da "nova criatura"

A “nova criatura” que Paulo fala aos Coríntios (2Cor. 5:7) é muito mais densa, complexa e estranha que a primeira, visto que a nova é composta por duas naturezas: a santa e a pecaminosa. A conflituosidade constante entre a perversidade e a benignidade é uma característica inerente à nova identidade do crente (Romanos 7:21). Não compreender isto é não conhecer Deus nem a si próprio.

2 comentários:

Rubinho Osório disse...

As duas criaturas já coexistem, desde o nascimento, afinal carregamos a imagem de Deus em nós. O que acontece é uma subversão da ordem, e a nova criatura passa a dar as ordens e ocupar os espaços antes de domínio do velho homem.
Salvo engano.

Jorge Oliveira disse...

Olá Rubinho,
Coexistem? Então e o que dizer de João 1:12 e da conversa de Jesus com Nicodemos? E de Efésios 2:1, 1 Pedro 1:23; 1 João 5:1,4 e outros?
Não nascemos todos nós (espiritualmente) mortos - Colossenses 2:13?

Sim, é verdade que trazemos a marca de Deus, a IMAGO DEI, somos todos criaturas feitas à sua imagem, mas como Jesus disse: "Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito." João 3:5-6

Só aqueles que crêem experimentam a conflitualidade das duas naturezas, porque só aqueles que nascem de novo as têm.


Abraço forte