quinta-feira, fevereiro 07, 2008

Nudez

A propósito da passagem bíblica de Génesis 3:7-10, quando Deus procurou Adão depois da queda e ele respondeu que se tinha escondido porque temeu, estando nu, um amigo meu salientou ontem que de facto Adão não estava nu, mas vestido com folhas de figueira. Evangelismo é isto: tornar perceptível a voz e a presença de Deus às pessoas. Quando a presença de Deus realmente toca a nossa vida, percebemos a nossa nudez, mesmo vestidos com as nossas folhas. Entendemos que os nossos actos de justiça são insuficientes para nos tapar e se formos suficientemente humildes, desejaremos ser revestidos por Ele. Importa ouvir, falar e obedecer a Deus.

3 comentários:

Paulo Costa disse...

Completamente de acordo! Devemos apresentar-nos diante de Deus sem máscaras; com todas as nossas fraquezas, falhas e imperfeições.
Vou partilhar um texto de Brennan Manning:
«Adão e Eva esconderam-se, e acabaram tornando-se nosso modelo de comportamento. Deus então nos convida a parar de nos esconder e a correr livremente para Ele. Por que nos escondemos?
Simon Tugwell assim explica em seu livro The Beatitudes [As bem-aventuranças]:
Ou fugimos da nossa realidade, ou forjamos um falso eu na maior parte admirável, suavemente cativante e superficialmente feliz. Por trás de alguma espécie de aparência que, esperamos, mostre-se mais agradável, ocultamos o que sabemos ser ou sentimos ser (aquilo que imaginamos ser inaceitável e não-amorável). Ocultamo-nos por trás de rostos bonitinhos, que vestimos em benefício do nosso público. E com o tempo podemos até esquecer que estamos nos escondendo, começando a pensar que o rostinho bonito que assumimos é como realmente somos percebidos.
Deus é o pai que correu ao filho pródigo quando este chegou em casa manquejando. Deus chora por nós quando a vergonha e o ódio de nós próprios nos paralisam. Deus nos ama como realmente somos — quer gostemos disso, quer não —, e nos chama, como chamou a Adão, para sairmos de nosso esconderijo seguro. Nenhuma quantidade de maquilhagem espiritual nos poderá tornar mais apresentáveis diante Dele. "Venha para mim agora", diz Jesus. "Reconheça e aceite o que quero ser para você: um Salvador de compaixão infinita, de paciência ilimitada, de um perdão difícil de aceitar e de um amor que não mantém nenhum registro de erros."
Abraço fraterno!

Jorge Oliveira disse...

Obrigado Paulo pela tua visita e também pela partilha do excelente excerto de Manning.

Deus continua com os seus braços de amor estendidos, disposto a perdoar e a cobrir-nos com o Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.

Abraço

Verme de Canteiro disse...

Bem, então (só pra meia descontração - meia de metade mesmo) ele, Deus, foi o primeiro designer, Costureiro e alfaiate que houve na terra! Claro que é uma maneira poetica de se dizer, resgatador: pois fez-nos roupas para a nudez.

A Bíblia é fonte infinita de poesia e leitura!